Vamos pensar nas nossas conexões?

Vamos pensar nas nossas conexões?

Vamos pensar nas nossas conexões?

Esta semana quero conversar com você sobre psicologia do marketing. Você já parou para pensar em como a psicologia tem sido utilizada no marketing? Eu estive em uma palestra da Martha Gabriel, que falou uma frase que fez muito sentido para mim. A frase era sinto, logo existo. Atualmente, as grandes marcas utilizam o poder da psicologia para envolver as pessoas. Têm utilizado as cores, todos os processos de comunicação, todo o apelo visual, toda a divulgação da marca e o envolvimento para outras pessoas visando gerar um comportamento de compra.

Percebe-se muito a psicologia do marketing ativa, o tempo todo, para gerar o comportamento de compra, para gerar a compra efetiva. Podemos perceber também que ao cativar e envolver emocionalmente todas as pessoas num processo de psicologia do marketing, a empresa consegue deter mais seguidores, e com isso consegue também mais advogados da marca. Esses advogados da marca tendem a chamar outros compradores, tornando assim o processo cíclico.

Então voltando à frase da Martha Gabriel, sinto, logo existo, é possível ver que quando há uma promoção, e há o processo de precificação nela, uma Black Friday, por exemplo, como temos visto muito neste final de ano, ou quando oferecem para você levar agora com tantos por cento de desconto, pense um pouco em como as ações do marketing têm atingido você, como o sentir age de forma a nos fazer consumir de forma impulsiva. Nos e-mails, utilizados como uma ferramenta de marketing digital, que você recebe, nas pesquisas que você faz e logo em seguida recebe um email. Você já parou para pensar em como está tudo conectado? Em como está tudo integrado? Comece a olhar mais ao seu redor, a sua clusterização, as pessoas que estão em sua volta, que fazem com que você olhe para um lado ou para o outro, que você consuma um produto e não outro.

Comece a perceber que com essas pessoas você tem um maior envolvimento emocional, e quanto maior esse envolvimento emocional, mais você tende a comprar um produto que esta pessoa consome, ou a endossar um produto que essa pessoa consuma, pedir sugestões. Veja a nova ferramenta que o Facebook tem agora, a ferramenta de recomendação, onde as pessoas pedem recomendação na sua clusterização, pois queremos estar conectados, temos a necessidade dessa conexão, queremos muito consumir, com essas pessoas, fazer com que elas consumam algo também. E quando eu falo para você em consumir é consumir uma ideia, produto, pessoa, serviço, processo. Pense no seu comportamento de compra, quando você vai comprar, como você é atraído? Como chamam a sua atenção?

Olhe novamente a conectividade, toda essa conexão que nós fazemos diariamente a todo minuto. As conexões são as redes sociais, pessoas do nosso trabalho, da nossa família, de todos que nos relacionamos, o tempo inteiro estamos nos conectando, e tentamos vender algo. Comece a perceber a psicologia envolvida nos processos. Comece a sentir mais, como seu consumidor reage, como ele olha para o produto. Comece a perceber todo esse processo de psicologia e comunicação aliados ao processo de compra, e ao marketing.

Vamos pensar na psicologia, ela observa o comportamento do ser humano para verificar como ele se porta diante da sociedade. E o que é comunicação? É um emissor emanando uma mensagem para um receptor que devolve um feedback. E o que é o marketing? É um processo de troca entre o mercado e seus consumidores. Então vamos verificar as três palavras juntas, o que elas nos mostram?

Elas mostram que se juntarmos a psicologia olhando o comportamento do ser humano, com a comunicação, fazendo pesquisa, interagindo, realizando observações, nos inserindo no meio que queremos propagar alguma informação, serviço ou produto e aliar o marketing para gerar essa troca. Torna-se muito mais efetivo essa compra. É mais efetiva o envolvimento, pois ao atrair o consumidor para um processo que queremos gerar, é mais fácil ele se sentir envolvido. E para se conectar efetivamente a esse consumidor, a esse ser humano, você consegue
gerar advogados da sua marca, e são eles que irão endossar o seu processo, que irão te recomendar no Facebook, que irão te recomendar no cluster em que convivem, ou seja, irão te recomendar para sua família, amigos, trabalho, nas redes sociais, e para as pessoas com quais se conectam.

Existe uma ferramenta que tem se falado muito, o coaching? Que também é um processo que olha o  comportamento do consumidor, que observa o comportamento do ser humano, que diz respeito a você se treinar para ser melhor. Então o que ele diz? Que somos as cinco pessoas que mais convivemos, ou seja, as pessoas que estamos conectadas. Mais uma vez vemos a psicologia agindo, e mais uma vez quando você convive com pessoas e se conecta você quer vender alguma coisa, seja uma ideia, um serviço, um produto. Você quer se conectar, gerar uma rede de conexão. Pense nisso. Pense um pouco mais nessa disrupção mercadológica, nessa revolução mercadológica, nesses novos processos do marketing. Teremos novidades toda semana para você. Semana que vem vamos conversar um pouco mais sobre essa disrupção. Continue comigo e não esqueça que na vida tudo é uma troca. Obrigada!

Ana Bárbara Dias