Marketing de empatia: o que é e como usar

Marketing de empatia: o que é e como usar

Marketing de empatia: o que é e como usar

Essa semana vamos falar sobre marketing de empatia, muito tem se falado sobre praticarmos mais a empatia, que a empatia é algo importante. E afinal, o que é empatia? É conseguir sentir, perceber o que o outro tentou falar, expor, é se colocar no lugar do outro, criar uma identificação, um relacionamento. E o marketing é a troca entre mercado e consumidor, e essa troca atualmente é muito mais profunda, pois é preciso se relacionar, pois estamos vivemos o marketing 4.0, que é o marketing da conexão, da conectividade.

E o marketing de empatia? Muito tem se falado sobre, ele acontece quando a marca olha e escuta de verdade o seu consumidor, e se preocupa em entregar um valor para ele, e não só um produto ou serviço, entregar uma solução, se colocando no lugar de seus consumidores, é o que tem se chamado de humanização da marca. É a empresa mais próxima do consumidor, se relacionando bem e melhor com ele, estando tão conectada, que a execução da marca é empática, se tornando humanizada.

Como então se constrói esse marketing de empatia? Quais são os pilares, o que temos que começar a pensar? Antes de falarmos de marketing de empatia precisamos entender o que é mapa de empatia, que serve para auxiliar as empresas a descobrirem qual o perfil do seu consumidor, e entendê-lo melhor ,mapa de empatia é construir um mapa conceitual, uma ferramenta visual que se consiga verificar aspectos relacionados ao consumidor, contendo alguns pontos relacionados ao perfil deste consumidor, definindo a persona, quem é o público alvo, como ele é, aprofundando esse público alvo, e quais os seis passos que a empresa tem que adotar para desenvolver posteriormente o marketing de empatia?

Os pontos dentro do mapa de empatia são: o que o cliente pensa e sente, o que o cliente escuta, o que ele vê, o que ele fala e faz, quais são as fraquezas e quais são as oportunidades. Nas fraquezas podemos pensar quais são as dores e nas oportunidades o que podemos oferecer, pois dentro da empatia temos que ter foco na solução. Cada empresa, cada produto, oferece uma solução para um determinado público, essa solução é focada em um público alvo.

Então, entramos no marketing de empatia, lembra que o mapa de empatia é para conhecer melhor o perfil do consumidor, e o marketing de empatia vem para relacionar-se com esse consumidor, vem para conseguir envolvê-lo, criando uma estratégia de comunicação, aperfeiçoando o produto e serviço, criando canais de comunicação mais eficazes, que cheguem efetivamente no público alvo.

Conseguindo assim, traduzir da seguinte forma, o que o cliente vê é como é o universo desse cliente. Vamos olhar onde ele está, vamos pensar o que tem dentro de sua mochila, qual é o processo de evolução desse cliente, quem é essa pessoa, qual a sua segmentação, onde ele está localizado, como ele consome, qual é a sua renda, estilo de vida, qual o seu comportamento em relação a marca.

Vamos para o segundo ponto que é o que o cliente escuta, temos que pensar quais as informações que ele busca e que ele considera relevante, então temos que pensar qual solução ele está esperando, o que para ele é importante e o que não é. Partindo então para o terceiro passo, que é o que ele pensa e sente, que no marketing de empatia é o que leva ele a consumir o seu produto ou serviço, o que representa para o universo dele, que valor para o universo do cliente tem seu produto ou serviço. O quarto ponto tem relação com o que ele fala e faz, trazendo para o marketing de empatia pensamos sobre qual comportamentos comuns esse cliente tem  dentro do grupo dele, vemos então o quinto que são: quais são as dores, desse cliente, suas fraquezas, quais são as suas dúvidas, quais são os receios, lembra do neuromarketing que eu tenho que desmistificar o medo.

O último ponto é quais são as oportunidades, os ganhos, quais são as soluções que eu ofereço, e no marketing é como eu vou ajudar a superar essas dores, e quais as oportunidades que podem surgir a partir daí. Com isso começamos a entender um pouco mais  sobre o marketing de empatia, e também, que a empresa precisa ser mais humanizada, que a marca precisa ser mais humanizada, e que ela precisa se colocar no lugar do consumidor, por que afinal na vida tudo é uma troca. Continue acompanhando nossas novidades semanais, e me siga nas redes sociais meu instagram é @anabarbara.dias e minha fanpage é @navidatudoeumatroca. Obrigada!

Ana Bárbara Dias